Morte de jovem no Extra causa menos indignação que a do cachorro no Carrefour

Essa semana terminou com uma notícia de grande repercussão. Um jovem com problemas mentais acabou morrendo após uma confusão em uma das unidades do mercado Extra , na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

A alegação é a de que Pedro Henrique Gonzaga, de 19 anos, teria tentado roubar a arma do homem, segundo O Dia.
O segurança Davi Ricardo Moreira foi preso, mas já saiu na madrugada desta sexta da Delegacia de Homicídios.  Vai responder em liberdade.  Pedro foi imobilizado em um “mata-leão”. Tudo foi filmado.
“Está desmaiado, não está não?”, pergunta alguém. “Está sufocando ele”, diz uma mulher.

Morte de rapaz com problemas mentais em mercado causou menos repercussão que a de animal

No final do ano passado, outra ação em mercado, dessa vez no Carrefour, também repercutiu, porém muito mais do que o caso carioca.

Na ocasião, um cachorro morreu após ser agredido por um segurança do mercado. Em ambas ações, os protagonistas são seguranças. Os ambos episódios acontecem dentro de um grande mercado, sendo cercado por muitos olhares.

No entanto, um mostra um ser humano que morreu e no outro um cão. Ainda assim, a repercussão em torno do caso envolvendo o animal foi maior. A sociedade em peso pediu a punição dos responsáveis. O desgaste foi tão grande que a unidade do Carrefour onde houve a agressão chegou a fechar.

Dessa vez, o jovem Pedro,  que sofria de problemas mentais e era negro, ganhou mais atenção da imprensa do que dos próprios internautas. O caso serve para dar uma boa discussão entre o que é mais importante, a vida de um ser humano ou a de um animal.

Morte de jovem no Extra causa menos indignação que a do cachorro no Carrefour
Gostou desse artigo?

Recomendados Para Você: