Médica acusada de matar o próprio filho de 3 anos por overdose começou a ser julgada

Teve início nesta última terça-feira (12), o julgamento da médica Juliana de Pina Araújo, ela é acusada de ter matado o filho envenenado e foi presa em flagrante. João Lucas de Pina tinha somente 3 anos de idade e o crime foi em junho de 2018, desde então a pediatra continua internada em uma clínica psiquiátrica.

Juliana foi até o Tribunal de Justiça do Distrito Federal em uma ambulância e não precisou ser interrogada, pois nesta etapa apenas foram ouvidas as testemunhas de defesa e também de acusação.

Em junho do ano passado, na 210 Sul, no quarto andar do Bloco J, aconteceu o crime que deixou o país inteiro chocado. O menino ainda foi socorrido e levado até o Hospital Materno Infantil, porém, os médicos não tiveram êxito em restabelecer os sinais vitais da criança. Foi encontrado bem ao lado da mamadeira do menino, alguns remédios que são de uso controlado.

O porteiro contou aos policiais que a pediatra desceu correndo do apartamento dela e chegou a dizer que matou o filho e que tinha tentado tirar sua vida também, cortando os pulsos e até o pescoço. Foi o porteiro que levou a mulher e também seu filho para o hospital, o funcionário contou com a ajuda de um morador do condomínio e eles foram no carro da médica.

O vizinho que ajudou o porteiro contou que o menino estava desacordado e a mãe toda ensanguentada, mas não dizia uma só palavra. A avó do garoto também foi no carro e ficou bastante abalada.

Esta é a segunda vez que a médica deixa a clínica onde encontra-se internada, sendo que a primeira foi para a realização de exames no Instituto Médico Legal, no fim de 2018.

Médica acusada de matar o próprio filho de 3 anos por overdose começou a ser julgada
Gostou desse artigo?

Recomendados Para Você: