Mãe é proibida de visitar filho em estado terminal e motivo é revoltante

Uma mãe tem vivido um triste drama. Além de enfrentar a dor de ter um filho sofrendo com uma doença terminal, Shaima Swileh sequer tem o direito de ver a criança. A mãe foi proibida de entrar nos Estados Unidos para ver o filho, o pequeno Abdullah Hassan.

Ela não pode entrar no país devido ao veto migratório que foi imposto por Donald Trump, no ano passado. O pai da criança, Ali Hassan, está junto com o menino, porém, não consegue o visto para que a mulher entre nos Estados Unidos.

Shaima e Ali se conheceram no Iêmen e tiveram sete filhos. Ali nasceu nos Estados Unidos, no estado da Califórnia. Quando a criança teve o triste diagnóstico revelado pelos médicos, o pai levou a criança para o país em busca de uma solução, um tratamento que fosse eficiente contra a doença.

No entanto, os profissionais informaram que o estado do garotinho era terminal. O pequeno Abdullah recebeu o diagnóstico de uma doença chamada hipomielinização, enfermidade neurológica que vai afetando a capacidade de respirar. Atualmente, a criança já não consegue respirar sozinha e a função é feita através de aparelhos.

Sabendo que a doença do filho não tem cura, a família vem lutando para que pelo menos a mãe consiga o direito de entrar no país, antes que o menino morra. Desesperada, a mulher quer pelo menos o direito de segurar a mão do seu filho pela última vez. De acordo com o pai, o garotinho não conseguiria sobreviver a uma transferência para outro país.

Repercussão do caso

Por causa da grande comoção e repercussão do caso, o país decidiu conceder um visto especial. A informação foi divulgada pela CNN e a mãe vai conseguir finalmente se despedir do filho doente.

Mãe é proibida de visitar filho em estado terminal e motivo é revoltante
Gostou desse artigo?

Recomendados Para Você: