Dormi com meus 2 filhos saudáveis e acordei com eles morto, alerta mãe

   

A mãe Vanessa Robinson decidiu contar sua história para alertar outros pais e mães

Assim como muitas mães, para a australiana Vanessa Robinson não era incomum os filhos irem dormir na sua cama de vez em quando.  Então, quando os pequenos Chase, 8 anos, e Tyler, 6 anos, fizeram isso em maio de 30 de 2010, ela achou que estava tudo bem.

“Os meninos chegaram no meu quarto nas primeiras horas da manhã, o que era normal para nós. Meus filhos estavam chorando e eu achei que um deles havia tido um pesadelo e acabou acordando o outro. Então, eles vieram para minha cama, nós nos abraçamos e dormimos”, recorda-se Vanessa em entrevista ao portal Kidspot.

Vanessa jamais pensou que esta seria a última vez que ela segurou seus meninos nos braços.  “Após termos ido dormir, lembro de sentir muita dor e certa perda da consciência até que um ruído constante me acordou! Eu acordei confusa e não conseguia mover meu braço esquerdo. Eu notei que havia algo muito errado com meus filhos e liguei para a ambulância e para meu ex-marido”, contou Vanessa.

“Percebi que nós tínhamos dormido o dia inteiro e quando eu acordei já era 6 da tarde! Eu acho que subconscientemente eu sabia que meus filhos tinham morrido, mas eu levei muito tempo para processar isso”.

Quando a ambulância chegou, foi confirmado que os meninos haviam morrido. Apenas dois dias depois, descobriu-se a causa do falecimento. Os meninos morreram por intoxicação por monóxido de carbono. Este gás vazou do aquecedor da sala da casa em que Vanessa e os filhos viviam.

A intoxicação por monóxido de carbono (CO) é uma das intoxicações fatais mais comuns. O CO é incolor e não tem cheiro, por isso, um vazamento é difícil de identificar.

Fontes comuns de CO nas intoxicações são: incêndio na residência, carros vedados, aquecedores à gás, aquecedores de água quente, fornos, fogões à lenha ou carvão e aquecedores à querosene.

Além de perder os filhos, Vanessa precisou lutar pela própria vida. “Eu fui colocada em coma induzido, tive falência renal e outros problemas por causa da intoxicação. Quando eu acordei no hospital, eu me lembro de chorar e dizer para minha mãe que meus filhos tinham morrido. Mas mesmo falando que meus filhos tinham morrido, eu ainda não tinha conseguido processar aquilo. Hoje eu até agradeço por não estar totalmente consciente nesses primeiros dias porque acho que se eu estivesse consciente, eu não teria conseguido sobreviver a este trauma”, recorda-se Vanessa.

Após passar meses no hospital se recuperando, Vanessa teve que tentar retornar para sua rotina.  “Quando eu realmente consegui compreender o que havia acontecido, eu fiquei muito brava e chocada. Eu não conseguia entender como ninguém fala sobre algo tão perigoso”, afirma Vanessa.

Ela decidiu contar sua história para alertar outros pais e mães e a população em geral sobre os riscos do vazamento de monóxido de carbono. “Pais, se vocês possuem aquecedores na sua casa ou algo que possa ter um vazamento de monóxido de carbono, por favor, chequem possíveis vazamentos e instalem alarmes detectores de monóxido de carbono. Se eu tivesse um desses alarmes meus filhos ainda estariam vivos”, alertou Vanessa.

Veja Também

Leave a Reply