Depois da febre amarela, doença cruel pode se espalhar pelo Brasil

Especialistas estão preocupados com um possível novo surto de dengue, desta vez mais precisamente da dengue tipo dois, os números de casos envolvendo a doença aumentaram 58% no último ano.

Segundo as autoridades, os surtos se tornaram mais frequentes afetando 153 mil brasileiros com o tipo dois da doença no ano de 2018. Em São Paulo é onde existe o maior foco da doença correspondendo 64% dos casos.

O mosquito transmissor da dengue apresenta quatro variações da doença, sendo que todos apresentam os mesmos sintomas. O problema está na reincidência, uma pessoa que já contraiu dengue quando é infectada novamente tem sua situação dificultada, isso se deve ao desequilíbrio no sistema imunológico que o vírus aegypts causa.

São Paulo lançou um programa estadual de combate ao mosquito, a fim de conscientizar a população e diminuir os elevados índices de vítimas da doença, o programa tem como principal foco engajar a comunidade na prevenção e controle do problema.

Anunciamos hoje nosso Programa Estadual de Combate à Dengue. As ações serão concentradas nas áreas de maior risco e onde, no ano passado, houve uma incidência maior de casos de dengue”, disse Doria após a reunião de secretariado realizada no Palácio dos Bandeirantes.

A campanha vai se estender ainda em outros meios de comunicação como as redes sociais.

No ano passado em Campina grande, uma garota de apenas quatro anos foi a óbito ao contrair dengue hemorrágica, permanecendo 21 dias no hospital.

Agentes da Defesa Civil farão ao longo de fevereiro ações especiais com profissionais da SUCEN (Superintendência de Controle de Endemias) e em cidades consideradas prioritárias de acordo com os índices de infestação.

Depois da febre amarela, doença cruel pode se espalhar pelo Brasil
Gostou desse artigo?

Recomendados Para Você: