Caso João Pedro: pai do menino morto pela mãe lutava pela guarda do filho na Justiça

A morte do pequeno João Pedro, de apenas três anos, está repercutindo nas redes sociais. O menino foi morto pela mãe – com a participação ou omissão do padrasto, na cidade de Cruzeiro, interior de São Paulo, na última sexta-feira (18).

O garoto foi espancado até a morte e seu corpo foi enterrado em um matagal. A polícia desconfiou do fato de os responsáveis pela criança não terem ido à delegacia registrar boletim de ocorrência após a circulação da notícia da morte do menino.

O pai do menino, identificado como Juan, e seus parentes é quem estavam à procura do garoto. Na manhã de domingo (20), policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) foram até a casa onde João Pedro morava com a mãe e o padrasto, na Vila Brasil.

Na delegacia, a mulher confessou que bateu no menino e quando percebeu ele estava morto. Segundo ela, a criança fazia “birra”. A mulher e o padrasto indicaram o local onde o corpo havia sido enterrado. A polícia foi até o local descrito e encontrou o corpo de João Pedro.

A criança, de apenas três anos, tinha fratura no rosto, braços e perna, de acordo com laudo do Instituto Médico Legal (IML). O corpo foi liberado pelo IML na noite de domingo e o enterro aconteceu na manhã de segunda-feira (21).

Após o enterro, o pai do menino foi internado. Ele está sob fortes medicamentos para superar a dor da perda do filho. Juan tentava conseguir a guarda do filho na Justiça, mas não tinha obtido parecer favorável. A mãe e o padrasto estão presos depois de confessarem o crime bárbaro.

Caso João Pedro: pai do menino morto pela mãe lutava pela guarda do filho na Justiça
Gostou desse artigo?

Recomendados Para Você: